Institucional

Para reunir, orientar e regular a atividade dos Distribuidores Independentes, existe a ANDAP, que congrega os principais distribuidores de autopeças do país. Durante seus mais de 40 anos de história, teve como objetivo o aprimoramento das atividades do se

Para reunir, orientar e regular a atividade dos Distribuidores Independentes, existe a ANDAP, que congrega os principais distribuidores de autopeças do país. Durante seus mais de 40 anos de história, teve como objetivo o aprimoramento das atividades do setor.

A ENTIDADE

A Andap – Associação Nacional dos Distribuidores de Autopeças, sociedade civil com fins não econômicos foi fundada em 1971 e representa os maiores distribuidores de autopeças do Brasil, onde algumas de suas finalidades são promover estudos para melhorar o mercado da reposição automotiva, incentivar a cooperação com os elos da cadeia produtiva e poder público e promover a ética comercial de social.

O INÍCIO

Na década de 70, no bairro do Brás em São Paulo, nas dependências da empresa Sama Autopeças e Pneus, do grupo Comolatti surgia inicialmente a ANCAP, hoje denominada ANDAP, com o objetivo de proteger o mercado da constante comercialização dos produtos a preços abaixo do custo e também da ameaça que vinha da Europa e que tratava da entrada e domínio das montadoras de veículos automotores neste mercado, fatores estes que ganharam forte apoio das indústrias de autopeças.

OS EMPREENDEDORES

O pioneirismo chegou através do visionário Gustav Willi Borghoff que implementou a chamada comercialização em cascata que hoje conhecemos como a cadeia produtiva ou cadeia de valor da reposição automotiva, onde há o envolvimento da indústria, do distribuidor, do varejo e da reparação de veículos, e que o levou a presidência da entidade.
Esteve à frente da entidade no período de 1971 a 1980 e ao seu lado um time de empreendedores ávidos pelo progresso e batalhadores pelo fortalecimento do comércio de autopeças como, Anastácio Giannini, Athos Vannucci, Clóvis Cabrino, Eduardo Cury, Guido Luporini, José Antonio Giannini, José Carlos Rizzo, José Colombo, Luciano Figliolia, Marcos Maia dos Santos, Mário Penhaveres Baptista, Maurice Eskinaze, Newton Pinto, Oswaldo Cardenuto, Pedro dos Santos Bernardes, Roberto Inácio Queiróz Filho, Ronaldo Luiz de Loreto, Waldir Siedschlag.
 

Voltar